Páginas

16.2.09

à margem dos instantes

as horas sem horários de partida
sem pulsos, relógios
nem nada lhes dando vida

para matar o tempo

Nenhum comentário: