Páginas

9.2.09

não preciso dormir com minhas pernas entre

- laçadas com o sol para saber que amanhece
tãopouco careço do frio para sentir que meu corpo
vezenquando extremece

desvio de verdades como meus olhos das vírgulas de uma frase
advinhando o ponto final

arde-me o olho as manhãs bem resolvidas e creio eu ser um longo canal cercado por concreto
enquanto todos os meus sentimentos são abstratos.

3 comentários:

Adalberto Proença disse...

noosssa.. . ficou muito bom seu adan

analú disse...

ficou mesmo ótimo;)

a sêde do peixe disse...

seu fi da puta