Páginas

10.12.08

a imprecadora

sou puta , sim, puta e anti-social
mas chupo o dedo sem unha
com boca de pelúcia
podem vir, que venham
todos os síndicos e o padre viado
fabricante de mendingos
o importador de anões
podem vir a negranhada
os homens-fêmeas
a indiarada os baianos
judeus nordestinos
o lixo a bosta o esgoto
passaram antraz na minha boca
na minha gengiva
torturam meu rosto
minha arcada dentária
seios nádegas olhos nariz
queixo pescoço garganta
cérebro ânus vagina
comeram toda a carne do meu corpo
vodu na boca lábios gengivas
enfia o farol na buceta
da puta-mãe de vocês no cu da puta-vaca
da tua mãe-esgoto
sou eu aqui
dormindo na rua
saia verde camisa preta
todos precisam de mim




verdade

esta dor é aguda
piora com o calor
a luz os movimentos

da primeira vez
era gastura de lágrimas
uma chuva muito quente

peço uma ajuda porque
preciso morar na pensão
pra cozinhar arroz
feijão ovo salsicha
e não beber
àgua quente da torneira

já trabalhei em lotérica
supermercado lanchonete
fui faxineiro
ajudante de pintor
vendi picolé vendi pão

cada esquina cada noite
o diabo me segue com voz de mel
se a dor vem
fico frouxo
entrego o corpo
(na rua é mais perigoso)

por isso peço
a sua ajuda:
eu falo a verdade.

do Fabio Weintraub

Um comentário:

a sêde do peixe disse...

ave maria! ou
puta que pariu!