Páginas

1.9.08

se eu colocasse o olhar,
pura ave de esquecimento,
percorrendo o exílio
como um grande talento.
o vício embebesse o mistério
no vão desta noite
(pelas trevas ferozes,
nos gestos sonoros do corpo).
com um lirismo carnalmente alquebrado,
incestuoso,
avançaria devorado
contra a muralha do meu assombro.
com inóspito horror brilharia dentro do ventre.

invadiria meu próprio abismo exaltado
e em mim mesmo ficaria acordado,
profundamente.

neste acorde me consumiria
até o último poema.


introspecto, de felipe stefani.

Um comentário:

gabriela pires disse...

olá!

que bom que alguém (além dos poucos amigos) visita o morangos mofados...hehe.
tb gostei do teu blog, muita coisa interessante por aqui.

abraço.