Páginas

18.1.08

monstro

sinto-me leve enquanto durmo
quando a realidade não me toca,
nem por qualquer trocado
não posso escolher nada
a fome que dói, o corpo usado
meus sofrimentos do passado corroem toda e qualquer chance de futuro.

Nenhum comentário: